Júnior Pernambucano e Ricardo Hessez são os novos carnavalescos do Império da Tijuca

0
Foto: Divulgação

O Império da Tijuca anunciou no início da noite desta quinta-feira (12), a contratação dos carnavalescos Júnior Pernambucano e Ricardo Hessez, visando a construção do Carnaval 2023. A informação foi divulgada após uma reunião com o presidente Antônio Marcos Teles, o Tê, e o Diretor de Carnaval, Luan Teles.

A parceria da dupla é uma grande novidade para o mundo do samba, mas ambos já são bastante conhecidos no meio. O primeiro, retorna à Família Imperial depois de cinco anos. O segundo, faz sua estreia na verde e branco tijucana, após brilhar no último Carnaval da Intendente Magalhães. Filho de carnavalesco e fundador de uma escola de samba na Cidade de Goiana-PE, Júnior Pernambucano, de 42 anos, veio para o Rio em 2000, para realizar o sonho de trabalhar nas agremiações do Carnaval Carioca.

Em 2006, se tornou carnavalesco na cidade de Três Rios-RJ, na escola Bom das Bocas, sendo campeão oito vezes. Em 2012, se mudou para a Capital, fazendo sua estreia no Império da Tijuca, e foi campeão logo de cara, com o enredo, “Negra Pérola Mulher”, de 2013. Em 2014, levou para o Grupo Especial o memorável “Batuk”, que destacava a influência de todos ritmos afros no Brasil. Em 2015, fez mais um carnaval luxuoso, com o enredo “Nas águas doces de Oxum”, e, em 2016, homenageou o ator José Wilker, através do enredo “O tempo ruge e a Sapucaí é grande”.

Em 2017, seu último ano no Império da Tijuca, apresentou na Avenida, o enredo “O último dos profetas”, sobre a vida e morte de São João Batista, abordando o sincretismo na Umbanda como Xangô e as festas pelo mundo todo.

Atuando no Carnaval desde 2017, o carioca Ricardo Hessez, tem 28 anos, e começou como assistente do carnavalesco Jorge Silveira. Passou por escolas como Unidos do Viradouro e São Clemente, além da Dragões da Real, de São Paulo. Em 2022, assinou o enredo em homenagem a radialista esportivo João Saldanha na Botafogo Samba Clube, ao lado do ator Marcelo Adnet.

Ricardo foi homenageado com a medalha de honra da Escola de Belas Artes em 2018, pela pesquisa do enredo sobre os 200 anos da instituição. Ele também foi premiado em 2020, pela coautoria do enredo “O conto do Vigário”, na São Clemente.

Além de anunciar a dupla, o Primeiro Império do Samba renovou o contrato do intérprete Daniel Silva, do casal de mestre-sala e porta-bandeira, Renan Oliveira e Laís Lúcia, da Comissão de Harmonia (Robson Tipaya, Renato Kort e Alexandre Rouge), do mestre de bateria Jordan e do coreógrafo e diretor de passistas, Gabriel Castro.

A escola da Comunidade da Formiga dará início aos trabalhos no barracão de alegorias na próxima semana e, em breve, divulgará o enredo que levará para o próximo desfile pela Série Ouro da LIGA-RJ.

SIGA-NOS INSCREVA-SE VÍDEOS EXCLUSIVOS
Artigo anteriorImpério Serrano “incorporado” anuncia Ito Melodia como novo intérprete oficial
Próximo artigoUnidos do Viradouro apresenta os sambas no primeiro domingo de agosto
redacao@carnavalcarioca.net.br

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.