Lins Imperial terá primeira torcida organizada na Marquês de Sapucaí

1
Foto: Divulgação

A verde e rosa do Lins ganhou sua primeira torcida organizada. Intitulada de Paixão Imperial, um grupo de torcedores do Flamengo cujo Mussum, enredo da agremiação para o próximo Carnaval, é mascote, procurou a diretoria com o intuito de unir forças. O resultado foi a fundação da primeira torcida da Lins Imperial. Diferente do futebol, os membros estão acima de qualquer rivalidade e o único objetivo é engrandecer os eventos e fazer do desfile, uma grande festa nas arquibancadas.

Presente principalmente nos ensaios técnicos e desfiles oficiais, as torcidas realizam um trabalho fundamental para a eclosão e o embelezamento do espetáculo. Integrantes dos movimentos organizados, vão para a Marquês de Sapucaí um dia antes da festa para dar início aos árduos trabalhos de ornamentação do local. No grande dia, chegam logo pela manhã para encher bolas, pendurar bandeiras, esticar faixas, com apenas um propósito: Exaltar a sua escola de samba. Eles não medem esforços e não ganham nenhum dinheiro, pois o pagamento está na emoção ver de sua agremiação pisar na Avenida com uma festa linda por todo Sambódromo.

“As pessoas inicialmente tem medo da ideia das torcidas no samba pelo exemplo do futebol, mas o samba tem um aspecto muito fundamental que é a união. As torcidas se ajudam, apoiam e festejam juntas, acima de qualquer rivalidade”, avisa Guga, um dos fundadores.

No samba, as organizadas promovem encontros e convidam as outras coirmãs para seus eventos. A Lins Imperial assim que possível, devido a pandemia, quer fazer uma grande festa de confraternização.

“Distribuiremos bandeirinhas, faremos o público presente na Sapucaí interagir com a Lins Imperial. Buscamos ser um incentivo a quem está desfilando e à comunidade. Faixas, bandeiras e balões também estão programados. Vamos estar na quadra de ensaios e em todas as apresentações externas, quando convidados”, explica Pinguim, fundador.

A Paixão Lins Imperial é apadrinhada pela torcida Raiz Mangueirense e chega para somar e engrandecer o Carnaval ao lado de outras torcidas que fazem belos trabalhos em prol da escola de samba do coração, como: Guerreiros da Águia, que foi a pioneira em 2003, Nação Leopoldinense, Independentes Mocidade, Garras do Tigre, Cobras da Caprichosos, Nação Verde e Rosa, Devotos da Coroa – Religiosamente Império Serrano, Leões da Estácio, Amigos da Águia, Portelamor, La Pandilla Clementiana, Família Tijucana, DNA Tijucano entre outras.

Artigo anteriorUnião da Ilha do Governador apresenta os treze sambas concorrentes
Próximo artigoFeijoada Nota 10 com vários shows agita a quadra da Unidos da Tijuca
Locutor nas escolas de samba do RJ, analista de sistemas, jornalista (RG 0039675-RJ), compositor e intérprete. Administrador do site CARNAVAL CARIOCA.

1 comentário

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.