São Clemente homenageia Milton Cunha com título de benemérito

Jornalistas Eugênio Leal e Alexandre Araujo também vão receber a honraria.

0
Foto: Rafael Arantes

Renato Almeida Gomes, presidente da São Clemente, anunciou que no dia 25 de outubro, data que marca os 60 anos da escola, algumas personalidades clementianas serão homenageadas com o título de benemérito, entre elas o carnavalesco Milton Cunha e os jornalistas Eugênio Leal e Alexandre Araujo.

“Numa data tão marcante para a São Clemente, a ideia é homenagear pessoas que contribuíram para o crescimento da escola. Não é todo mundo que merece ser benemérito. É um reconhecimento em vida pelos serviços prestados à escola, que será lembrado para sempre”, disse o presidente.

Renato explicou como escolheu as personalidades.

“São pessoas que sempre divulgaram o nome da São Clemente na imprensa, se posicionaram a favor da escola e nunca se esconderam. Eles são apaixonados por essa agremiação”.

O presidente sonha com uma grande festa, mas realizará um evento seguindo os protocolos de segurança.

“É claro que eu queria a quadra cheia para celebrar a data, mas só iremos realizar o evento com nossa gente vacinada. Se tudo der certo, faremos uma festa bonita, com orquestra e tudo”.

Conheça os homenageados:

Milton Cunha

Carnavalesco, mestre de cerimônias e comentarista de carnaval, ele é figura sempre presente nos ensaios da São Clemente. Iniciou sua carreira na Beija-flor de Nilópolis, onde ficou de 1994 a 1997.

Assinou três carnavais da escola de Botafogo. Em 2004, levou para a Avenida, o enredo “Boi voador sobre o Recife: O cordel da galhofa nacional”. No ano seguinte, falou sobre a melhor idade com o tema “Velho é a vovozinha: A São Clemente enrugadinha e gostosinha”. Em 2018, trouxe para a escola o enredo “O Clemente João VI no Rio: A redescoberta do Brasil”.

Milton ficou emocionado com o convite e falou de seu envolvimento com a agremiação.

“A São Clemente é um pedaço da minha família. A gente passava o Natal lá com a Dona Marina. Sou muito amigo do Renato, do Roberto, da Regina e de toda família Almeida Gomes. Eu criei laços de afeto, temos histórias juntos. Lembro da entrada no terreno onde hoje é a quadra. Eu estava com eles, pulei o muro na invasão e caí num matagal. Muito me honra ser benemérito de uma escola que tem essa pegada Zona Sul: carioca, jocosa e animada. Adoro”.

Milton também relembrou do enredo de 2004, um marco na sua carreira de carnavalesco.

“Depois de ter feito enredos sérios e culturais, eu queria me aventurar na coisa mais crítica e brincalhona. Eu achava que o enredo sobre o boi voador era a cara da São Clemente. O samba é um clássico. Seu Anísio pediu e o Renatinho me contratou. Eram tempos muito difíceis de dinheiro. Foi uma luta, um lindo desfile, mas acabamos descendo injustamente. Mais uma das muitas vezes em que a escola foi prejudicada”.

Eugênio Leal

Atualmente nos canais ESPN/FOX, Eugenio Leal tem uma longa história na São Clemente. Comandou a ala de tamborins da Fiel Bateria, de 2000 a 2007, foi diretor de comunicação da escola entre 1997 e 1998 e também ganhou três disputas de samba (2001/2002/2005).

A sala de imprensa do barracão também leva seu nome, que é um dos autores do livro “As Primas Sapecas do Samba”. A obra conta a história da São Clemente, da Caprichosos de Pilares e da União da Ilha. Eugênio é o responsável pela parte da auri-negra de Botafogo.

“Não esperava esta homenagem, fui realmente pego de surpresa, estou muito feliz. Fora o nascimento dos meus filhos, a São Clemente proporcionou a maior alegria da minha vida que foi o desfile de 2001, um momento mágico e inesquecível. Eu desfilei como diretor de tamborim e também era um dos autores do samba que levantou a Sapucaí de ponta a ponta. É uma emoção ser lembrado dessa forma”.

Alexandre Araujo

O jornalista, radialista, escritor e compositor Alexandre Araujo é figurinha carimbada nas disputas de samba da escola. Ele é um dos autores dos hinos de 2003, 2005, 2009 e 2016. Há quase duas décadas, Araujo apresenta o programa Rock Bola e nunca escondeu sua paixão pela São Clemente.

Atualmente, além de comandar o tradicional debate esportivo, ele apresenta o Boteco Tricolor, na FLUTV, tem um programa de samba na rádio Roquete Pinto e dá expediente na assessoria de comunicação da Preto e Amarelo.

“Uma honra enorme ser homenageado pela escola do meu coração. A São Clemente é muito importante na minha vida, me consolou em momentos difíceis, me proporcionou momentos inesquecíveis e meu deu grandes amigos. Nunca esquecerei do meu primeiro samba na escola, em 2003. Lembro como se fosse ontem da final de samba no barracão na Avenida Brasil. Após o anuncio da vitória, eu corri aos prantos para abraçar minha saudosa avó. Ver minha obra na avenida, ganhar um samba no grupo especial, testemunhar desfiles memoráveis, quantas lembranças boas. A São Clemente é minha segunda casa”.

Segundo o presidente, outros clementianos ganharão o título de benemérito.

“A gente já está pesquisando e estudando quem receberá o título e, em breve, vamos divulgar os nomes dos outros homenageados”.

Artigo anteriorRaphael e Dandara formam o novo primeiro casal da Paraíso do Tuiuti
Próximo artigoImperatriz Leopoldinense anuncia a contratação de Junior Schall
Locutor nas escolas de samba do RJ, analista de sistemas, jornalista (RG 0039675-RJ), compositor e intérprete. Administrador do site CARNAVAL CARIOCA.

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.