Acadêmicos do Cubango

0

GRAVAÇÃO DA ESCOLA

Compositores:
Robson Ramos, Sardinha
Anderson Lemos, Jr. Fionda
Duda Tonon, Rildo Seixas
Sérgio Careca, Samir Trindade
e Alessandro Falcão

Intérprete:
Pixulé

Olorum criou
Aye do Orum
Odudua fez a Terra
Deu poder
A cada um dos Orixás
Agô Mamãe Senhora
Abençoa meu Ylê
Onde o meu samba
Faz morada
Valei-me feminina
Divindade
O ventre
Da fertilidade
O aço, o vento
O tempo, o destino
Velho ou menino
Na flecha ou no barro
Da água ao raio
Por guerra e paz
Derrama o Ejé
Em seus rituais

Atotô meu pai
Obaluaê
Oluaê Oluaê

A vida é rio
Que corre pro mar
Só colhe axé
Quem semeia
Há fé pro amor
Enraizar
Eu quero ver
De volta o verde
Nessas matas
A branca espuma
Em cachoeiras
E cascatas
O chão sagrado
Refletir a poesia
Pra liberdade
Ver raiar
Um novo dia
Meu povo
De joelhos
Evoca o poder
O solo
E teu gongá
Yaalé

Ibá Awo, Ibá Awo
Mojuba Onilé
É fundamento e raiz
Do Candomblé
Ibá Awo, Ibá Awo
É Cubango teu chão
Eles queimam tua terra
Nós pedimos o perdão

PARCERIA DE ROBSON RAMOS (Campeã)

Compositores:
Robson Ramos, Sardinha
Anderson Lemos, Jr. Fionda
Duda Tonon, Rildo Seixas
Sérgio Careca, Samir Trindade
e Alessandro Falcão

Participações Especiais:
Léo Castro e Manolo
Intérprete:
Diego Nicolau e Tinga

Olorum criou
Aye do Orum
Odudua fez a Terra
Deu poder
A cada um dos Orixás
Agô Mamãe Senhora
Abençoa meu Ylê
Onde o meu samba
Faz morada
Valei-me feminina
Divindade
O ventre
Da fertilidade
O aço, o vento
O tempo, o destino
Velho ou menino
Na flecha ou no barro
Da água ao raio
Por guerra e paz
Derrama o Ejé
Em seus rituais

Atotô meu pai
Obaluaê
Oluaê Oluaê

A vida é rio
Que corre pro mar
Só colhe axé
Quem semeia
A fé
É pra quem
Acreditar
Há fé pro amor
Enraizar
Eu quero ver
De volta o verde
Nessas matas
A branca espuma
Em cachoeiras
E cascatas
O chão sagrado
Refletir a poesia
Pra liberdade
Ver raiar
Um novo dia
Meu povo
De joelhos
Evoca o poder
O solo
E teu gongá
Yaalé

Ibá Awo, Ibá Awo
Mojuba Onilé
É fundamento e raiz
Do Candomblé
Ibá Awo, Ibá Awo
É Cubango teu chão
Eles queimam tua terra
Nós pedimos o perdão

PARCERIA DE BELLO

Compositores:
Bello, Serginho Aguiar
Paulo Franco, Myngauzinho
Rafael Gonçalves, LM Neves
e Thomaz Perigo

Participação Especial:
Márcio André Katar
Intérprete:
Marquinhos Art’Samba

Sob a luz de Olorum
Despertar da natureza
Divina pureza
Orun Aiê…
Raízes a florescer
O amor se torna
Barro esculpido
O mundo sem mazelas
É casa de orixá
Pra purificar
Seu filhos
Odudua ao lado
De Oxalá
Na matas de Oxossi
Reluz Oxumaré
Em águas de Oxum
E Iemanjá
Trazendo a cura
Ossaim e Obaluaê
No sopro
A liberdade
Do amanhã
Em forma de vida
Saluba Nanã

Onilé guardiã
Fecunda é a semente
Do teu ventre
Onilé guardiã
Da Terra
A luz na floresta
Que desperta

Fogo de Xangô
Vento de Oiá
Ferro de Ogum
Forja pra lutar
Agoyê meu Pai senhor
Por desonrar o criador
Na palha, no ritual
É o poder ancestral
Cubango
Sagrado verde
Em seu manto
Clamando preservação
Na palha, no ritual
Cubango

Abre as portas do Ilê
Pra plantar o meu axé
Cubango, é terra de fé
Abre as portas do Ilê
Pra plantar o meu axé
Ibá orixá, Ibá Onilé
Ibá orixá, Ibá Onilé

PARCERIA DE GIGI DA ESTIVA

Compositores:
Gigi da Estiva, Dito
Cláudio Vagareza
Isaias Demócrito
e Júlio Primavera

Participações Especiais:
Matheus Canela
Alexandre Reis e
Chiquinho Inspiração

Intérprete: Clovis Pê

Olorum
A luz do mundo
Fez surgir
Na imensidão
Olorum à Odudwa
Determinou a criação
Do barro moldar
Tudo que habita
O sopro sagrado
Início ao fim
Foi dada
A cada divindade
Uma parte a governar
Epa Epa Babá

Saúdo Iba Orixá
Saúdo Iba Onilé
Iba Orixá, Iba Onilé
Atotô ajubero
A seiva da vida
Poder de curar

O sol
Brilha a natureza
Rica em elementos
Naturais
A fauna e flora
Provêm alimentos
Ciências
Curas medicinais
Extrair minerais
Não devemos abusar
Nascentes se transformam
Em rios
Que deságuam no mar
O ciclo movido
Em comunhão
Com energias ancestrais
Mas hoje
Os céus lacrimejam
O homem destrói
O que faz
A chama apaga
A esperança
A terra arde
E o ar se desfaz

Onilé Cubango
Pede solução
Onilé Cubango
Chega de omissão
Bato cabeça no meu ilê
Agô aiyê, Ago aiyê

PARCERIA DE IGOR LEAL

Compositores:
Igor Leal, Guilherme Kauã
Vandinho Pires, Lucas Martins
Pedro Vapor, Vitor Barros
Gabriel Machado
e Luan Bessa

Participações especiais:
Bruno Rezende e
João Vinícius

Intérprete:
Wander Pires

Olorun…
És o Deus supremo
A perfeição
Unindo Orun e Ayê
Buscou na criação
A inspiração
Fez a vida nascer
Na terra vermelha
Se fez despertar
Onilé
Antigos terreiros
Preservam a louvação
Iorubana em forma
De mulher
E deu aos orixás
Poderes ancestrais
Raíz do Candomblé

Okê, okê
Saluba, Ogunhê
Arroboboi, Ewe ô
Kaô kaô
Xeu epa Baba
Atoto, Odoya

Sagrado
Chão de energia
Que carrega
Poder pra equilibrar
A nova era
Se o homem entender
O que é cuidar
Vai plantar
E colher no amanhã
Que virá
Depende de nós
Cuidar da nossa terra
Contra a ganância
Daqueles que destroem
A esperança
Meu canto
É a resistência
A ecoar
E ninguém
Vai calar

Ibá Onilé
Cubango
Senhora da terra
De uma nação
Ibá Onilé
Sou Cubango
Honro teu Quilombo
Minha tradição

PARCERIA DE GUSTAVO BEBÊ

Compositor:
Gustavo Bebê, Thayssa Menezes
Emerson Carmo, Miguel Beserra
Marvyn Siqueira, Aline Gama e
Jota

Intérprete:
Chicão

Na ordem de Olorum
O xirê da criação
Pra cada orixá
Uma missão
Toca, Alabê
E dobra o Run
No solo batizado
Pela mão do Axogun
Terra, princípio da vida
Terra, destino final
Vestida de si mesma
“Deusa preta”
Em sua alteza
Guardiã da natureza

Atotô! Ajuberô!
Senhor da cura
Cubra com a sua palha
Patakori, Arroboboi
Saluba, Okê Arô
Falange da terra
Que não falha

O legado é preservar
Semear esperança
E igualdade
Felicidade é ver
Brotar o amor
No campo fértil
Que essa mãe abençoou
E, no girar do mundo
O ensinamento do Sagrado
Faz nosso povo
Bem-aventurado
De verde e branco
Minha escola, minha vida
Vem colher, na avenida
Os frutos
De um sonho especial
Que vai florescer
No carnaval

Ibá Orixá, Ibá Onilé
Templo consagrado
Exemplo de fé
Meu chão
Tem força ancestral
Cubango é raça
Negritude e ritual

PARCERIA DE CACAU SOUZA

Compositores:
Cacau Souza
Jô Borges e
Teresa Coelho

Intérpretes:
Cacau Souza
Linda Baobá e
Jô Borges

Abram os olhos
Pensem no futuro
Reveja tudo
Que Olorum criou
Escute o clamor
De Onílè
O ventre que abriga
A criação
Nasce á vida no Ayê
O poder na imensidão
Assim foi determinado
A cada orixá uma missão
O homem sagrado barro
Foi concebido
Pelas mãos de Oxalá
A transformação
Que originou um novo ser
Salve Nanã Buruque

Adupé ôô
Odùdúwà Ya Mojubá
Abriu-se a cabaça
Da existência
O ancestral
A terra semeou
E a voz que ecou
Até hoje é resistência

Ciclo da vida
O milagre de Oxumaré
A natureza bendita
Em seu florescer
O arco íris
Contemplando o arrebol
E os primeiros raios
Do bendito sol

Eruajé eu eu
Perecemim
Energia e axé
Nas folhas de Ossaim
Segredos da cura
Para não padecer
Nas palhas de Obaluaê
Minérios
Riquezas naturais
Retirados da terra
Com a permissão de Ogum
As matas
Onde canta o sabiá
As águas que fecundam
A plantação
Equilíbrio do planeta
Sob o olhar do guardião

Hoje a Cubango
É voz, é consciência
Um manifesto
Pra fazer a diferença
Pra ver o homem
Cuidar e evoluir
E todos juntos
Preservar para existir

LEIA A SINOPSE

CLIQUE NA LOGOMARCA ABAIXO
ENVIE SEU SAMBA CONCORRENTE

Artigo anteriorLins Imperial apresenta Bianca Ramos como Madrinha de Bateria
Próximo artigoUnidos do Porto da Pedra apresenta reforços para o próximo Carnaval
Locutor nas escolas de samba do RJ, analista de sistemas, jornalista (RG 0039675-RJ), compositor e intérprete. Administrador do site CARNAVAL CARIOCA.

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.