Aos 74 anos, Marquinho do Pandeiro lança primeiro disco da carreira

Integrante da Velha-Guarda Show da Portela vai apresentar canções autorais em live com participações de Paulão 7 Cordas e Tuco Pellegrino.

0
Foto: Abder Paz

Marquinho do Pandeiro está perto de realizar um sonho antigo. Aos 74 anos e recuperado da COVID-19, o músico e integrante da Velha-Guarda Show da Portela se prepara para lançar seu primeiro disco solo, “Claridade da Portela”. A tão aguardada estreia vai acontecer neste sábado (10), às 19:30h, durante uma live no Teatro Rival Refit, com participação especial do cantor e compositor Tuco Pellegrino, do músico Paulão 7 Cordas e do locutor portelense, Boka.

“Minha felicidade é enorme por lançar meu disco e fazer a live. Será uma chance para amigos e portelenses de outros estados e até de fora do Brasil também assistirem o resultado de um trabalho feito com tanto esforço e carinho. Deixando a vaidade debaixo dos meus pés e a minha simplicidade acima da cabeça, tenho certeza de que todos vão gostar. A pandemia quase me pegou de jeito, mas me recuperei e estou muito animado”.

Na Portela desde 1960, ele entrou para o seleto grupo de bambas da Velha-Guarda em 2004, após a morte de Argemiro Patrocínio. Em seguida, colaborando nos vocais com Monarco e Serginho Procópio, passou a acompanhar o grupo nas feijoadas mensais, em gravações e shows pelo Brasil. Foi aí que o veterano decidiu que era hora de mostrar suas próprias composições, após quase 50 anos de trajetória profissional.

“Sempre gostei de compor e de mostrar minhas músicas para os amigos. Aí, há uns quatro anos, o Rodrigo Godoy, a quem eu faço questão de citar, deu o pontapé nessa história de gravar disco. Outro que teve papel fundamental foi o Tuco (Pellegrino), que assina a produção do CD. Monarco, meu mestre e professor, também sempre me incentivou. A sensação agora é de vitória”.

Para a live, Marquinho do Pandeiro promete apresentar a maior parte das canções do disco, além de homenagear ícones portelenses.

“Vou mostrar o carro-chefe do disco, ‘Claridade da Portela’, que fizemos para homenagear a inesquecível Clara Nunes. Tem, ainda, música minha com Monarco, tem samba só meu e outros feitos com amigos como Tuco Pellegrino, Ruan Espanhol, Beto Fininho, Rafael Viana, Tiago Beli e outros”.

Sambas de Candeia, Casquinha, Bubu, Manacéa e Monarco também estarão no repertório.

“Não posso deixar de homenagear a Velha-Guarda, que está completando 50 anos de carreira, e de lembrar pessoas que foram muito importantes na minha tragetória como músico. São artistas que eu já acompanhei em shows e que faço questão de reverenciar de alguma maneira, como Jorge Veiga, Zé Kéti, Cartola e Ismael Silva”.

Com textos do presidente Luis Carlos Magalhães, e do professor, pesquisador e biógrafo da Velha-Guarda Show, João Baptista Vargens, o disco “Claridade da Portela” pode ser adquirido através deste e-mail ou através do telefone (11) 96491-8660.

O show será transmitido pelo canal do Teatro Rival Refit, no YouTube e o público terá a oportunidade de contribuir com o artista, músicos e técnicos envolvidos na produção através da plataforma Sympla.

Artigo anteriorParaíso do Tuiuti anuncia o retorno da disputa de sambas-enredo
Próximo artigoUnidos de Vila Isabel dá início a obra de revitalização da quadra
Locutor nas escolas de samba do RJ, analista de sistemas, jornalista (RG 0039675-RJ), compositor e intérprete. Administrador do site CARNAVAL CARIOCA.

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.