Império da Tijuca escolheu o hino oficial para o próximo Carnaval

0
Foto: Divulgação

O Império da Tijuca realizou no último sábado (12), a grande final de samba-enredo definindo o hino oficial do próximo Carnaval. A parceria de Guilherme Sá, Paulinho Bandolin e Edgar filho foi a grande vencedora do concurso realizado inteiramente online através do canal da escola no YouTube e respeitando todas as medidas de proteção à saúde estipuladas pela OMS.

Na ocasião estava programada a apresentação dos seis sambas finalistas, contudo a parceria de número 40 não compareceu ao evento por precaução, já que alguns dos compositores estavam suspeitas de COVID-19. Cinco parcerias subiram ao palco para defender as suas obras e não faltou animação com o grande show da ala de passistas coordenada por Gabriel e Laiza, baianas e casais de mestre-sala e porta-bandeira.

Após a apresentação dos finalistas com uma passada sem bateria e três com a participação dos ritmistas, o presidente em exercício Luan Teles anunciou a parceria vencedora.

“Foi muito difícil chegarmos aos seis finalistas dentre os cinquenta e seis inscritos. E mais ainda escolher apenas um para representar nossa escola no próximo desfile, mas não tenho dúvidas de que o vencedor transmite perfeitamente a mensagem do enredo idealizado pelo nosso carnavalesco”.

Ouça o samba campeão


Compositores:

Paulinho Bandolim
Guilherme Sá e Edgar Filho
Intérprete: Bico Doce

Clamo a presença
Dos ancestrais
Arde a chama
Na Candeia
A luz
Dos seus ideais
Livre…
O samba faz escola
Manifesto no terreiro
Sou Quilombola
Vou de pé no chão
Resgatar a pureza
Dos meus carnavais
O novo pavilhão
Foi Oxum quem bordou
De dourado e lilás
Vem maracatu
Do caboclo lanceiro
Dança o caxambu
Jongueiro
Saravá lundú
Afoxé, capoeira
No rabo de arraia
Não leva rasteira

Puxa o partido
Pro mestre versar
(Candeia)
Firma na palma da mão
A noite inteira
Risca no amoladinho
(ioiô)
Ô iaiá, vem mexer
Com as cadeiras
(Vem sambar)

Sou da arte
Negra sentinela
Um quilombo
Em cada favela
Contra toda forma
De opressão
Sou a poesia
Sem mordaça
Tambores
Em dia de graça
Heróis e heroínas
Da Abolição
Sou o canto forte
De Palmares
A vibrar pela cidade
Um grito sufocado
A resistir
Inspiro a verdadeira
Liberdade
Valeu, Zumbi

Quem leva
A noite na cor
De verde e branco
É rei…
Mostra seu valor
No Império da Tijuca
Negritude é lei
(Negritude é lei, é lei)

A verde e branco desfilará pela Série A da LIERJ, com o enredo “Samba de Quilombo – A resistência pela raiz”, de autoria do carnavalesco Guilherme Estevão.

Artigo anteriorAcadêmicos do Salgueiro adia a primeira eliminatória de sambas
Próximo artigoLive da Vigário Geral terá convidados e apresentação do samba-enredo
Locutor nas escolas de samba do RJ, analista de sistemas, jornalista (RG 0039675-RJ), compositor e intérprete. Administrador do site CARNAVAL CARIOCA.

Deixe uma resposta:

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.