Portela pisa forte na Avenida e está pronta para tentar o 23º campeonato

Foto: Antonio Pivanti

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela entrou na Passarela Darcy Ribeiro por volta das 23h, encerrando os ensaios técnicos deste domingo (4). A Águia Altaneira de Madureira levará para a Avenida, o enredo “De repente de lá pra cá e dirrepente de cá pra lá…”, de autoria e desenvolvimento da premiada carnavalesca Rosa Magalhães.

Na abertura dos trabalhos o carro de som fez a sua tradicional oração e em seguida o esquenta com os clássicos sambas da agremiação, na voz do intérprete Gilsinho, que mostrou estar recuperado do susto pelo acidente de moto durante a semana. Logo após, foi à vez do hino oficial ser entoado na Passarela do Samba.

Foto: Rodney de Figueiredo

A azul e branco de Oswaldo Cruz e Madureira contou no seu último treino antes do desfile oficial com 3.700 componentes divididos em 27 alas, sendo 300 ritmistas da bateria Tabajara do Samba, sob a batuta de Mestre Nilo Sérgio, que tem como rainha, a exuberante beleza da ex-princesa do Carnaval Carioca, Bianca Monteiro.

Assista os vídeos do ensaio da Portela.

Foto: Antonio Pivanti

A Comissão de Frente, sob a responsabilidade de Sérgio Lobato, era composta por componentes que carregavam uma espécie de mala. Em determinada ocasião eram abertas e formavam a frase “Portela Campeã”.

Foto: Rodney de Figueiredo

O bailado de Marlon Lamar e Lucinha Nobre, 1º casal de mestre-sala e porta-bandeira, arrancou por várias vezes, aplausos em diversos setores da Marquês de Sapucaí. Pequenos tripés foram usados para indicar o posicionamento dos carros alegóricos.

Foto: Antonio Pivanti

A ala de passistas, comandada por Valci Pelé e Nilce Fran, mostrou todo o gingado e a força do samba no pé de Madureira.

Veja as fotos do dia festivo na Marquês de Sapucaí.

Integrantes da Velha-Guarda da Mangueira marcaram presença no ensaio da azul e branco. Aproximadamente vinte personalidades de cada coirmã foram convidadas para participar do ensaio, uma vez que este ano os treinos não foram realizados devido ao corte de verba pela Prefeitura.

Destaque para algumas alas que vestiam trajes nordestinos e outras coreografadas. Além do samba, as paradinhas da bateria e canto forte dos componentes, foram os fatores positivos que devem levar a escola a brigar pela vigésimo terceiro título de sua história.

Comentários

Comentários