Paulo Erick é o novo mestre-sala da Acadêmicos do Engenho da Rainha

Continuando a montagem de sua equipe para o Carnaval 2018, o G.R.E.S. Acadêmicos do Engenho da Rainha está apostando em um time de peso, não poupando esforços para trazer os melhores profissionais. Depois da renovação com mestre Laion, chegou a vez de trazer para seu time o mestre-sala Paulo Erick, que fará par com a veterana Mônica Menezes defendendo o primeiro pavilhão da agremiação.

Ela que estreou na avenida em 1991, teve passagens por várias agremiações como: Acadêmicos do Salgueiro, União do Parque Curicica, Alegria da Zona Sul, Unidos do Cabral, Arranco do Engenho de Dentro, entre outras e, ainda é instrutora no conceituado projeto de Manoel Dionísio. Monica que já esteve por dois anos na agremiação, após um pequeno intervalo retornou, e no próximo ano completará quatro carnavais defendendo o pavilhão vermelho e branco.

“Estou muito feliz com a chegada do Paulo Erick. Conheço a dedicação dele e sei que temos tudo para desenvolver um lindo trabalho juntos. O quanto antes vamos começar nosso treinamento. Estamos ansiosos para a escolha do enredo e o início das atividades”, comentou Mônica.

Para a diretoria, a chegada de Paulo Erick é a prova de que o Carnaval precisa se reciclar.

“Ficamos na sexta posição em 2017. Sabemos onde erramos e onde acertamos, temos consciência. Mas temos também, a certeza que em 2018 o Engenho apresentará um grande trabalho. Estamos apostando principalmente numa grande equipe, mais profissional, que está se dedicando e se propondo a trazer uma nova era para nossa escola. Hoje não dá mais para pensar no carnaval de antigamente, num carnaval amador. Tudo está muito mais profissional, os desfiles de todos os grupos estão mais competitivos, assim como cada quesito, nota a nota, estão. Então, temos que nos atualizar e nos reciclar, e a vinda dele como o novo mestre-sala para fazer par com a Mônica, que já está conosco há praticamente quatro anos, está vindo para acrescentar e dar essa cara mais profissional que desejamos. Tenho a certeza que fizemos uma ótima escolha”, explica o presidente Bad Boy.

Jovem e cheio de sonhos, o mestre-sala recém-chegado não esconde a ansiedade em mostrar o seu trabalho ao lado da nova porta-bandeira.

“Comecei no projeto SONHO DO BEIJA-FLOR, na Beija-flor de Nilópolis com Selminha e Claudinho em 2006. Fiz parte do projeto durante sete anos e em 2013, fui convidado para assumir o primeiro pavilhão do Sereno de Campo Grande, onde desfilei em 2014 e 2015. Na sequência fui segundo mestre-sala da Estácio de Sá, o que me permitiu também um grande aprendizado, e ainda, fui o primeiro na Unidos de Bangu. Estou muito feliz com esse novo desafio. Eu gostaria de agradecer a Deus pelo lindo presente de fazer parte da escola. É uma honra e felicidade muito grande defender o pavilhão da primeira Academia do Samba. Gostaria de agradecer ao presidente Bad Boy pelo convite e confiança, e dizer, que irei me dedicar ao máximo para garantir os 40 pontos. A minha nova porta-bandeira Mônica Menezes, um obrigado por me receber tão bem. Tenho certeza que juntos iremos dar o nosso melhor. Com entrosamento e muita sintonia vamos alcançar sem dúvida, o êxito em nosso dança que tanto queremos, e sei que hei de aprender muito com a sua experiência. E para a comunidade, digo que darei o melhor por vocês! Vamos com tudo rumo ao carnaval 2018!”, declarou o mestre-sala.

A diretoria está finalizando sua nova equipe e, em breve, fará um evento para apresentação de todos e definir o início dos trabalhos.

“Já temos o tema para o nosso enredo e estamos fechando os detalhes. Posso adiantar aos compositores, que este ano o Engenho da Rainha fará disputa de sambas. Aguardem que ainda vem muita novidade por aí!”, finalizou o presidente Bad Boy.

Comentários

Comentários